Copa do Mundo de 1958 na Suécia


A sexta Copa do Mundo da FIFA foi disputada na Suécia de 8 a 29 de junho. No total, 51 equipes nacionais tentaram se classificar em três regiões: América Latina, Europa e Grã-Bretanha e 16 entrariam no torneio final.



Em todas as Copas do Mundo anteriores, sempre houve algumas nações que não desejavam ou não podiam participar. Na edição de 1958, todos os países do mundo do futebol estavam envolvidos nas qualificações que levariam ao torneio final na Suécia. E pela primeira vez na história da Copa do Mundo, todas as nações britânicas seriam qualificadas.

A decisão de deixar um país europeu sediar a Copa do Mundo duas vezes seguidas perturbaria os sul-americanos. Também havia acontecido entre 1934 e 1938, mas da FIFA foi decidido que o torneio a partir de agora mudaria de continente a cada quatro anos.

A decisão de deixar um país relativamente pequeno como a Suécia, com menos de 7 milhões de pessoas, sediar uma Copa do Mundo também seria criticada pelo potencial para grandes audiências. A frequência média também seria relativamente baixa, alguns milhares a menos do que na Suíça de 1954, mas na verdade maior do que na França de 1938.

Formato
O formato consistia em uma primeira fase com quatro grupos de quatro equipes e de cada uma das equipes avançaria para uma fase final dos mata-mata, incluindo oito equipes. A fase eliminatória consistiu em quartas-de-final, meias-finais, um terceiro lugar e uma final.

Cidades e arenas
As partidas seriam disputadas em doze cidades da Suécia e em doze estádios. A final seria disputada no Estádio Råsunda, na capital, Estocolmo.

Torneio
Entre os participantes estava o atual campeão da Alemanha Ocidental , enquanto outro ex-time campeão Uruguai não conseguiu passar pela qualificação. A era da antiga superpotência sul-americana parecia ter terminado, o Uruguai nunca mais chegaria perto de seus resultados anteriores.

A seleção da Hungria, que dominou o futebol europeu por um longo tempo, seria interrompida devido à revolução húngara, que obrigou muitos jogadores a deixar o país. A nova equipe húngara não passaria pela fase de grupos, mas a grande surpresa do país de Gales ficaria em segundo lugar no grupo, juntamente com a Suécia, para a próxima etapa.

Uma nova estrela nasceria na Copa do Mundo de 1958. Depois de um empate sombrio em sua partida de estréia contra a Inglaterra, dois novos jogadores teriam a chance no time brasileiro na próxima partida: Garrincha e Pelé . O Brasil alcançaria todo o caminho e os 17 anos de idade, Péle, seriam os mais jovens de todos os tempos na final da Copa do Mundo. Ele não era apenas o mais jovem, ele também fez um dos gols mais memoráveis ​​de todos os tempos na Copa do Mundo na final contra a Suécia … Uma bola alta na área, Pelé pula e para com o peito na frente de um zagueiro. o próximo zagueiro está se aproximando, mas Pelé mostra seu gênio já concedido, sem esforço, arremessa a bola e, em seguida, por um voleio, arremessa para o gol.

Pelé não foi o único a fazer história. Just Fontaine fez 13 gols pela França e hoje é um recorde absoluto em Copa do Mundo.

A Copa do Mundo da FIFA 1958 também chamaria atenção por maneiras rudes e injustas em campo. Estranhamente, ainda não foram permitidas substituições e uma lesão levaria a um jogador ausente da equipe.

Estatísticas
A Copa do Mundo da FIFA 1958 incluiria 35 partidas nas quais 126 gols foram realizados. Os 3,6 gols por partida foram menores do que em todas as edições anteriores da Copa do Mundo e o torneio na Suécia também incluiria a primeira partida por 0-0, disputada entre Brasil e Inglaterra, na história da Copa do Mundo (sem qualificação). Quando Pelé marcou contra o País de Gales, ele se tornou o artilheiro mais jovem (17 anos e 239 dias) da história do torneio.

Resultados
Alemanha Ocidental, Irlanda do Norte, França, Iugoslávia, Suécia, País de Gales, Brasil e Soviética avançariam para a fase eliminatória.

Brasil, França, Suécia e Alemanha Ocidental iriam para as meias-finais, das quais Brasil e Suécia iriam jogar a final.

A final deixaria a equipe da casa Suécia incapaz de resistir aos brasileiros. O placar final de 5-2 seria um recorde de gols em uma final da Copa do Mundo (o recorde anterior foi de seis gols na final de 1930).

A equipe do Brasil (campeões):
Carlos José Castilho (goleiro)
Gilmar (goleiro)
Hilderaldo Bellini (zagueiro)
Djalma Santos (zagueiro)
Nílton Santos (zagueiro)
De Sordi (zagueiro)
Orlando (zagueiro)
Mauro Ramos (zagueiro)
Dino Sani ( zagueiro )
Didi ( zagueiro )
Oreco ( Médio)
Zózimo (Médio)
Moacir (Médio)
Zito (Médio)
Pelé (Avançado)
Mário Zagallo (Avançado)
Garrincha (Avançado)
Joel Antônio Martins (Avançado)
Mazzola (Avançado)
Vavá (Avançado)
Dida (Avançado)
Pepe (Avançado)
Vicente Feola (Treinador principal)

Veja Também

Copa do Mundo de 1962 no Chile

A sétima Copa do Mundo foi disputada no Chile de 30 de maio a 17 de junho. As qualificações iniciadas dois anos antes incluíam 57 seleções. Destes, 14 equipes conseguem ir para o torneio final, juntamente com o país anfitrião automaticamente qualificado Chile e o atual campeão Brasil.