Com novo contrato sendo discutido, Presidente do Vasco da Gama aposta em reintegração de Bruno César


Mesmo sendo apresentado em janeiro como não opções para o clube, Presidente do Vasco diz que negocia um novo contrato com Bruno César visando uma possível redução salarial e perdão de dívidas referentes ao vínculo do atleta com o clube que está em vigência.



Mesmo sem data de retorno das atividades por conta da pandemia do corona vírus, o Vasco anuncia que terá novidades, a reintegração de Bruno César ao corpo de jogadores do time. A direção do time negocia com o meia, detalhes do novo contrato, em especial a questão financeira.

Com a questão inicialmente sendo tratada pelo Diretor executivo de futebol, André Mazzuco, não havia até aquele momento, chances de manter o meia no grupo de jogadores, porém com as chegadas de José Luis Moreira e Antônio Lopes, vice de futebol e coordenador técnico respectivamente, a coisa começou a mudar de forma.

Moreia assumiu a conversação e enalteceu as boas características do jogador e defendeu que o jogador permanecesse junto ao elenco cruz-maltino, outra questão é que o contrato do jogador com o Vasco, vai até 31 de dezembro de 2020.

Mas as negociações por um novo contrato estão sendo discutidas, Bruno e seu staff negociam com Vasco a confecção de um novo contrato, uma vez que o atual é válido até dezembro. O novo contrato mira numa redução salarial e perdão de dívidas anteriores.

O histórico de Bruno César começou a se agravar quando o Vasco tomou a decisão institucional de emprestá-lo ou rescindir o contrato do jogador. Como nada disso ocorreu e a dificuldade de pagar seu salário se agravou foi levado em conta as opiniões de de José Luis Moreira e Antônio Lopes.

A contratação do jogador se deu em janeiro de 2019 e era uma promessa de grande reforço para o Vasco. Mas sem conseguir se firmar, o jogador acabou terminando aquela temporada no banco dos reservas. Bruno César somou 30 jogos defendendo o Vasco com 4 gols marcados.



Veja Também

Pedido da Federação Catarinense de Futebol (FCF) pela volta dos jogos com portões fechados, é negado pelo Governo de Santa Catarina

No intuito de mantém veto aos esportes com aglomerações em meio à pandemia, a Federação Catarinense de Futebol (FCF) teve seu pedido pela volta em 16 de maio, negado pelo Governo de Santa Catarina. A confirmação ocorreu na noite desta terça-feira por meio de comunicado oficial. As autoridades de saúde, avaliaram que não há possibilidade para a retomada, mesmo com portões fechados, de atividades gerem aglomeração ou contato físico.