O desejo da Champions e R$ 64,7 milhões anuais distanciam Cavani da oferta milionária do Atlético-MG


Por intermédio da família Menin, o galo tentou realizar a contratação mais cara já feita pelo clube, em 112 anos. Cavani rejeitou.



Na semana passada com a visita de um de seus maiores ídolos, o R10 o Galo tentou realizar a contratação mais cara já feita pelo clube, em 112 anos. O atacante Edinson Cavani recebeu convite para atuar no Galo, mas rejeitou a proposta milionária apresentada pelo clube. Por meio da família Menin, o Galo ofertou 2 milhões de euros a mais do que proposta do Grêmio R$ 2,3 milhões por mês, livre de impostos (14 milhões de euros por três anos ou R$ 30 milhões anuais).

Contando com o “fator Sampaoli” como atrativo o alvinegro foi vencido, uma vez que o centroavante uruguaio quer receber mais do que o dobro do valor anual ofertado: R$ 64,7 milhões.

Responsável por tentar a contratação do maior artilheiro da história do PSG, a família Menin, dona da MRV Engenharia tentou trazer para o Galo maior artilheiro da história do PSG. Auxiliando o Atlético em quase todos os nove reforços da “era Sampaoli” até aqui, Rafael Menin (vice-presidente do Conselho Deliberativo), e seu pai, Rubens, são apoiadores do Galo e fazem empréstimos sem juros ao clube como pessoas físicas.

Desde que Cavani recusou a renovação com o clube francês, o jogador está sem clube há quase 3 meses. Vendo os números ofertados pelo Grêmio, o Atlético viu a oportunidade de tentar e deu sua proposta. Mas como a situação não avançou e fez time usar a “carta na manga” que seria um contato direto de Sampaoli com o jogador, para o convencer a entrar no projeto de vencer o Brasileirão, no qual o Atlético é líder e irá encarar justamente o tricolor gaúcho neste sábado.

Levando em conta a distância econômica entre as ofertas e as contrapropostas do jogador, existe ainda o desejo do jogador de continuar disputando a maior liga de clubes do mundo, afastando ainda mais a possibilidade de o centroavante uruguaio atuar no futebol brasileiro.



Veja Também

São Paulo encara Rogério Ceni pela primeira vez em um mata-mata

O torcedor são-paulino se depara com uma situação inédita, enfrentar seu histórico goleiro, hoje como técnico do Fortaleza