Palmeiras reduz dívida com patrocinadora após venda de Bruno Henrique


Parte do pacote de investimentos da Crefisa no futebol do clube, transferência de Bruno Henrique para o Al-Ittihad trouxe alivio financeiro para o Palmeiras



Prevendo R$ 200 milhões a menos de receitas em virtude da pandemia do novo coronavírus, o Palmeiras conseguiu ter lucro e reduzir dívida com patrocinadora. A transferência de Bruno Henrique para o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, vai servir como um alento para o Palmeiras, uma vez que os aproximadamente R$ 27 milhões vão servir para abater parte da dívida do clube com a patrocinadora Crefisa.

O direcionamento faz parte do acordo feito na compra do meio-campista, na época da compra em 2017, a patrocinadora pagou o valor de R$ 13 milhões para o Palermo, da Itália, e o acordo era devolver 100% do gasto pela patrocinadora na compra, mais os juros acumulados desde a época.

Fechando o ano com dívida de R$ 172 milhões com a Crefisa, o Palmeiras de certo modo conseguiu abater seu saldo devedor com a transferência de Bruno Henrique. Vale ressaltar que Dudu (ainda emprestado), abatem parte do débito com empresa do casal de conselheiros Leila Pereira e José Roberto Lamacchia.

Em virtude dos juros calculados com base em CDIs (Certificados de Depósito Interbancário), o Palmeiras ainda fez lucro com a transferência de Bruno Henrique, uma vez que dos R$ 27 milhões recebidos a Crefisa terá um pouco acima dos R$ 13 milhões.

Dono de um contrato até o ano de 2023 e possuir um dos maiores salários do elenco o jogador, o jogador foi valorizado em 2019 após receber uma proposta de um clube chinês ue quase o tirou da Academia de Futebol, mas renovou com o Palmeiras e se tornou peça fundamental no elenco.

Mas o jogador se tornou alvo de críticas por meio dos torcedores, após um ano sem títulos da equipe alviverde. O jogador deixa o Palmeiras com 175 partidas disputadas e 28 gols com a camisa da equipe alviverde.

Veja Também

São Paulo encara Rogério Ceni pela primeira vez em um mata-mata

O torcedor são-paulino se depara com uma situação inédita, enfrentar seu histórico goleiro, hoje como técnico do Fortaleza