Sem tempo para recuperação ideal para segundo jogo em 48h, Dome promete o ‘melhor Flamengo possível’


Técnico vai ouvir departamento médico e os próprios jogadores para definir quem vai jogar a partida contra o Red Bull Bragantino



Num exato intervalo de 50h entre o apito inicial contra o Goiás, na terça e o jogo contra o Red Bull Bragantino, o Flamengo está ciente de que não tem o tempo ideal para recuperação do elenco. Segundo o técnico Domènec Torrent, sua tática será ouvir o departamento médico e os próprios jogadores e definir a melhor maneira para encarar o próximo duelo. O técnico promete mandar a campo o “melhor Flamengo possível” contra o Red Bull Bragantino.

Após a vitória por 2 a 1, com dois gols do centroavante Pedro, o técnico disse: “Eu não sei o que acontecerá com os atletas que estão nas seleções. Vamos assistir aos jogos e conversar com eles. Para o próximo jogo, a ideia é mudar bastante. Vamos perguntar como se sentem, se estão cansados, com algum problema muscular. Temos muitas informações com o Dr. Márcio Tanure, que me fala se há risco de lesão. Colocaremos o melhor time para o próximo jogo.”

Além dos lesionados, Gabriel Barbosa e João Lucas, o Flamengo tem outra baixa, o lateral-esquerdo Filipe Luís recebeu o terceiro cartão amarelo e cumprirá suspensão automática. Em contrapartida, o Flamengo terá, ao menos, um meio-campista em condições de atuar, Diego estará de volta às opções do treinador após cumprir suspensão.

Após sua recuperação Diego Alves voltou a ser relacionado por Dome. Segundo Dome: “Nós temos quatro goleiros maravilhosos. Hoje jogou o Hugo. Todos sabem da importância do Diego para o time. É o capitão e um goleiro excelente. Teve uma lesão muito difícil, treinou três dias com o elenco, está voltando aos poucos. Vamos ver o que acontece. Estamos felizes com todos. Diego está treinando com o time, treinou muito bem, e é um goleiro com grande experiência. Hugo está muito bem. Vamos pouco a pouco.”

Veja Também

São Paulo encara Rogério Ceni pela primeira vez em um mata-mata

O torcedor são-paulino se depara com uma situação inédita, enfrentar seu histórico goleiro, hoje como técnico do Fortaleza